Entrevista do Jornal Notícias do Dia #ND+ @ndmais com a #HortaMobile

Com 20 mil empresas ativas, Palhoça é procurada por qualidade de vida.

No primeiro semestre deste ano, a arrecadação de ISS aumentou em 13,28% em comparação ao mesmo período em 2018.

Aposta em pesquisa.Os amigos Jeferson de Andrade e Felipe Schmidt começaram a empreender após terem participado de um curso do professor Jorge Barcelos da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) sobre hidroponia, que é o cultivo sem solo. Em 2013 eles começaram a pesquisar tecnologia para automação de estufas hidropônicas para cultivo doméstico.

“Nossa pesquisa foi crescendo junto com o conhecimento do doutor Jorge”, ressalta Schmidt. Todo o desenvolvimento foi realizado na UFSC dentro do LabHidro, o primeiro laboratório de hidroponia do Brasil.

Schmidt, “professor pardal” da dupla – como é chamado pelo sócio Jeferson, criou então uma micro controladora para estufa hidropônica. O equipamento é comercializado a partir do escritório deles no Pedra Branca para o Mato Grosso do Sul, Pará, Amapá, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

“Aqui nós temos a ambiente ideal para o trabalho que queremos realizar”, afirma Jeferson.

Incentivo

Diego Chierighini é diretor-executivo do Inaitec (Instituto de Apoio à Inovação, Incubação e Tecnologia) de Palhoça e diz que as leis de inovação para atração de novas empresas e a desburocratização dos processos se destacam na hora de um empresário decidir se investe ou não no município.

“Os empresários são atendidos por profissionais que apresentam a eles os melhores locais para a instalação do empreendimento, por exemplo. São técnicos que conhecem as características do município e isso favorece a assessoria aos investidores”, salienta Chierighini.

De acordo com a prefeitura de Palhoça, no primeiro semestre deste ano, a arrecadação de ISS (Imposto Sobre Serviço) aumentou em 13,28% em comparação ao mesmo período em 2018.